quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Nostalgia Misteriosa





Era tarde de primavera,

Saiu em busca de alívio,
O tempo era convidativo,
Havia serenidade no ar.

Clima leve, de roupas claras
Vestiu-se, tinha quimeras.
Invadiu-lhe  uma nostalgia,
Uma sensação de solidão alva.

Abaixou a cabeça sobre si,
Deixou-se estar envolta ali
Num clima de eremitério,
Tentava dissuadir o mistério.








7 comentários:

  1. Linda poesia e por vezes nos chegam nostalgias,sem mais nem menos... beijos, lindo dia! chica e tuuuuuuuuuuuuuuudo de bom!!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo, seu poema, Roselia!!! Ficou uma aura de nostalgia, o silencio que a envolveu, por certo desvendará o mistério.
    Doce dia, querida, beijinhos
    Valéria

    ResponderExcluir
  3. Vestiu-se de quimeras, levava a primavera nas mãos, as brisas iluminavam a sua nostalgia, certamente!
    Beijinhos 😘

    ResponderExcluir
  4. Poema simplesmente belo! Parabéns amiga! :))
    -
    Existem silêncios que atropelam ...
    -
    Beijo e uma excelente noite :)

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde Amiga Rosélia,
    Um poema belíssimo e num local junto ao mar, tão inspirador, decerto o mistério se desvendará.
    A nostalgia irá embora nas brumas do mar e o alívio surgirá.
    Beijinhos fraternos de paz e bem.
    Ailime

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde Rosélia.
    Sempre compartilhando belas inspirações.
    Bom final de semana.
    Beijos
    Juliana.

    ResponderExcluir