domingo, 28 de abril de 2024

Lado Recatado (Série Mulher Poema 7

 





Vaporosamente bela,

no cenário, ao entorno dela,

flores se exibem formosas,

em cores diversas.


Com todo sossego,

joga charme toda elegante,

até a água brilhante

serena no córrego.


O vento tenta desnudar,

levantar voo às suas vestes,

sabiamente a segurar,

não teme tempestades.


Árvores a encobrem,

realçam o céu bem azulado,

é bem pomposa a imagem,

realça seu lado recatado.

**********




quinta-feira, 25 de abril de 2024

Feminilidade (Série Mulher Poema 6)

 


"Seus sonhos eram tão grandiosos quanto seus arredores eram pequenos."






Ela, Mulher, bela, cativante,
em sua cambraia de seda,
orna seus cabelos, hidrata,
penteia, arruma como princesa.

Tem amor-próprio, é plena,
suavidade é seu lema primordial,
cuida-se para si mesma,
quer seu bem na autoestima.

Ela, Mulher, bela, estonteante,
vestida com tênue labareda,
ama-se, não se maltrata,
passeia pela redondeza.

Mechas de seda na morena,
adornam seu ser cordial,
flores no alpendre são resma,
atrai a todos como ímã.
 
**********

Poema 1
Poema 2
Poema 3





sábado, 20 de abril de 2024

Cantinho do Poeta (Toninho)

                  






Desde janeiro, uma vez por mês, poetas amigos desfilarão por aqui com poemas sobre a Arte da Poesia  pela poesia.

Nosso quarto homenageado será o querido amigo Toninho,  um poeta de alma que muito me incentivou no mundo mágico da poesia.

Seja bem-vindo em nosso Cantinho do Poeta,  querido Amigo!

                                           



                                 Verdades da Poesia


Se meus versos carregam tristeza,

Talvez não os traduzam verdades.

Se oculto sentimentos com sutileza,

Neles entrego minha cumplicidade.


Como fazer poesia que não sangra,

Sentimentos profundos embalados,

Que a boca cala, mas ela se declara

Com suas rimas e versos inspirados.


Vive o poeta esta eterna dualidade

De escrever o que sente sinceramente,

Sob a vigia dos olhos da realidade.


Vestem-se os versos na complexidade,

Delatam nas entrelinhas certamente,

todo sentimento da indivisibilidade.


Toninho





Obrigada, querido Amigo, por embelezar a blogosfera com Poemas tão lindos.

Poetas já homenageados no Cantinho do Poeta:




Poeta Toninho:

Sempre encanta, inspiração crescente.

Eterno poeta, catador e contador de emoções com rimas e versos. Sua poesia é visceral! Um identificador do que tem de íntimo próprio que toca como flecha certeira a identidade do encantado...

 Poeta emocional. Sempre os poemas nos fazem pensar e nos sensibilizam.

Poeta amigo e amigo poeta cheio de talento e inspiração.

Canta a Natureza como poucos com uma sensibilidade poética enternecedora, um maravilhos amigo, companheiro de tantos anos.

Poeta de excelência, externa em versos redundantes o sentimento com toda a sensibilidade do extraordinário poeta...
Emociona com seus versos iluminados.

  Encanta com a sua sensibilidade poética.  
Tem uma forma extraordinária de ler o mundo e de
sublinhar a dualidade que existe entre a inspiração e a realidade.

De  uma sensibilidade que emociona. São poemas leves
e de grande beleza.

Adoro sonetos bem conseguidos, daqueles que se leem e ficam na memória e nos ecoam no coração. Também gosto muito de quadras e sempre que o visito, leio com prazer as suas sempre bem construídas, são bons momentos de leitura. A sua simpatia também é muito envolvente.

É sem dúvida um poeta de grande valor. 

Podemos esperar sempre rimas, delicadas, realidades em forma de versos e prosas, doces poesias.

A poesia nasce na alma do poeta e nas asas da inspiração, as palavras pousam suavemente, formando profundos e sentidos poemas, que vão tocar o coração de quem lê. 

Um poeta nato e sua poesia é de uma enorme sensibilidade.



quinta-feira, 18 de abril de 2024

Amansadora do Incivil (Série Mulher Poema 5)

 





Meu petulante animal,
de um jeito triunfal.
acolha-me sem rusgas,
domadora em levezas.

Tens um porte belo,
deixa-me te refrear,
entrega-te ao zelo,
meu troféu desvelo.

Vença minhas sombras,
és incivil, rédeas 
da eximia montadora,
libera, sem rodeios.

Solta teus cabrestos,
cavalga meus sonhos,
libera todas viseiras,
somos alegrias vivas. 

**********




sábado, 13 de abril de 2024

Seu Nome é Mulher (Série Mulher Poema 4)

 





Pele macia na delicada tez, 
magia no gingado, sensatez.
No olhar envolvente, temente
a mulher de brio, ar sóbrio.

Raiz de base firme, varonil,
nada tem de fêmea volátil.
Gigante no querer e saber,
é determinação em evolução.

Sabe bem o que quer, caminha
na paz, não desatina na linha.
Evoluir, firmar seu caráter,
muita malemolência requer.

O nome é Mulher, bem se quer,
com garra, gás, generosidade,
conquista ideais essenciais,
é grande em sua luminosidade. 

**********






quinta-feira, 11 de abril de 2024

Uma Linda Mulher (Série Mulher Poema 3)

 





Numa cidade antiga,
Rose resolve tomar chá.
Veste-se muito elegante,
não se inibe de melindrar.

De peito bem aberto,
cabeça erguida ela vai,
caminha tão devagarzinho,
saboreia o tal delicioso lugar.

Na saída, já saciada,
segura sua longa saia rodada,
tem elegância no rumo do trajeto,
sente-se resoluta, é bem resolvida.

Não se incomoda jamais
se ninguém a percebe ou vê,
quer saber de sua vida viver,
sem se importar com nada mais.

**********





domingo, 7 de abril de 2024

Parceria Indomável (Série Mulher Poema 2)

 






Ela brilha, tem muito valores,
a outra tem pelos hidratados,
são amigas, ambas indeléveis,
as domadoras bem implacáveis.

Elas têm olhos felinos lindos,
vivem momentos irreparáveis,
ganham brio, vigor em primores,
aliadas propensas às defesas.

Na lida, ficam na berlinda,
quer queiram ou não, contagiam,
o medo é superado mais ainda
aliadas, ao reverso, atraiam.

Assim se dá na vida, se unem,
fera e mansidão em substância,
num contágio iluminado também,
transformam-se em pura energia.

**********







terça-feira, 2 de abril de 2024

Ressonâncias do Mês da Poesia



Assim que chegamos ao fim, pelo segundo ano consecutivo,  do Mês  da Poesia.
Cerramos as cortinas com o coração cheio de beleza e contentamento pelo desfile triunfal dos Amantes da Poesia.

Foi sugerido adentrarmos no Lírico:
Temas mais subjetivos relacionados ao Amor e à  natureza.
Normalmente utilizar a linguagem conotativa,palavras empregadas em sentido figurado.  Focar sentimentos, despertar sentimentos...



Conheci Aqui na amiga Adriana . 

Eis os amigos participantes:































Levem seus ovinhos coloridos deliciosos no sabor que mais apreciem, 
foram feitos com muito carinho,
 estão bem adornados.
O sabor é  de aconchego e união dos poetas blogueiros,  
Amigos do coração. 

🐇 🐰  🐇 

Você nunca sabe que resultados virão da sua ação.
Mas se  você não fizer nada, não existirão resultados.
(Mahatma Gandhi)




A cada semana, uma nova emoção e belíssimas contribuições de forma a enriquecerem nosso Mês dedicado à  Poesia.


Imagem I

"Os braços se abrem para receber o pôr-do-sol."

Celina

"Livre de anilhas ou grilhões".

Olinda Melo



"Há uma quietude no ar,
...

É poesia
plena de paixão!"

Maria Rodrigues 


"Graças ao Alto sempre vou dar...

Devolvo amor em oração." 

Chica


"Desperta-me para a ternura."

Norma Emiliano



"Meu coração se enche de fulgor."

Ailime




"Não te procurarei nem na praia

Nem em qualquer outro lugar. "

Marta Vinhais 



"De braços abertos a Deus 

Agradeço em oração. 

Pelas inúmeras graças recebidas."

Verena 



"Venho chamar-te  ó poesia-viva,

Quero ir onde estiveres."

Calu



"Bota fé  para ninguém desesperar."

Antônio Apon 



Procurando um lugar para ficar 

...

"Sem mesmo tendo espaço para pensar."

FÊ BLUE BIRD



"Na elegância do bailado nas asas dos sopros de brisa."

Manuela Barroso 



"O que quero mais é 

Voar... voar

Sem dar satisfação a ninguém

Sem me prender a horários rigidos. "

Edite

"No silêncio do tempo, há  histórias para contar até onde a minha memória alcançar."

Ivaneide 



"Na imensidão do céu,  a liberdade coreografa o seu balé."

Gracita



"Imunizada da maldade. "

Toninho 


Deus no coração. 



Imagem II



Leio e sonho

Viajo e colho

Emoções

Viro uma folha

Outra e outra





Livros que formam uma cadeira,
A convidam a sentar.
Atenção bem verdadeira, 
A cada palavra vai dar.





Longe de ser martírio
é o auge da beleza
escrita nas nossas mãos
conjugada com o delírio
.

 





Continuarei a amar as palavras....

E continuarei a amar-te....

e terei sempre que escrever....

Escandalosamente....




Palavras emocionadas convertidas
Em cuidado de si e do outro
Gestação do sonho
Realização efetivada.


"E as palavras abocanhando os meus olhos
Fico embriagada com o feitiço de cada verso. "






O que estava escrito,
seguimos nós na escrita;
escrevendo o agora,
rescrevendo outrora,
pra a aurora do amanhã,
nosso amor alvorar.



Poesia é  dom nato abençoado
Quisera eu alcançá-lo e dele me embriagar
E dele poder voar, voar, nos versos 
Sem rimas a cantar
Somente amar, amar!




Nos livros tantas indagações 
e palavras sem resposta.



Seguiu o chamado da Poesia 
E, agora,  mora entre suas páginas.



"A vida precisa de poesias,
quanto mais poetizarmos
mais leveza
e borboletas veremos ao nosso redor"...




Ler é viajar sem sair do lugar.



Emoções que embalam o coração. 


Edite



Seus olhos debruçam de cansaço,
sobre o teimoso inacabado verso.




Ultrapassa a fantasia,
Tornando sempre mais bela
A candura dos poetas,
Que revive em poesia".




Que farei da vida agora?
Como seguirei meu caminho
Sem sentir o sabor do teu carinho?




Imagem III


Remando sem cessar, acharei
O dia da minha Redenção. 





Todo dia é dia...  de tocar o barco do viver, soprado pelo versar da vida, inspirada e inspiradora arte de estar aqui.


O barco segue sozinho,
Navegs no lindo mar.



Procuro o lugar onde começa o silêncio. 
O silêncio transparente do mar.



No silêncio e solidão da noite,
as minhas emoções retraem-se
sempre que o passado vem à tona.



Frágil, hesitante,

a todo o instante se espera que naufrague, 

mas o barco equilibra-se e segue a sua rota...




Calmarias e tempestades
O balanço das ondas enfrentou.



Que Deus proteja a nossa breve travessia nesse mar de mistérios!



Descobres um veleiro em viagens submersas

e rumas ao sul de todas as poeiras

para encontrares o poema da vida

mesmo nas correntes mais adversas.


Manuela Barroso 


Naquele pequeno mar
Quanta coisa cabe lá 
Até a lua iluminada
Fsveira a me espiar.

Maria  Luíza Saes 




Lá se vai corajoso pescador.
...

Grande alegria vai, novamente, existir.



Que suas águas aumentem meu curso, me façam mais profunda 
para que eu continue rio 
que não corre em vão!

Ana Paula 


Lua maravilhosa e Cheia,
prateia os cachos, tudo é poesia,
vestida no Organdi a incendeia.
...
Vê uma silhueta.




Lá  vai o pescador 
Soliysrio e triste..

...
Lembranças de um amor
Que há Buenos se perdeu
Do qual nunca se esqueceu.



Remar é preciso...
Remando,
seguindo para um novo horizonte.





Afinal, o quê sou ?
...
Eis-me aqui, Senhor!




Passa o barco na viagem 
Pela vida e estações.
Leva nele a poesia
Paira sobre as emoções. 

Celina 

São longas as noites
...
Esperando tranquilamente
Pelo raiar da manhã.

Mario Margaride 




Impossível 
Mergulhar a dor
Os olhos desesperados 
D'uma criança violentada.





Imagem IV


Onde mora a poesia?
Na casa da inspiração,
na vivenda dos sonhos,
no jardim da arte,
um horto à parte
um canto
recanto do encanto.



Tu privaste o teu jardim de tudo

O que me poderia fazer feliz

Eu e todas as forças da natureza

Choramos, aqui, esse

Paraíso Perdido



Em meio ao bosque a casinha 
Com capricho, bem cuidada.
Saudades sente Mariazinha
Da sua mãezinha tão amada.



Fiz o que sempre quis fazer….


Abri a casa ao Sol…


Marta Vinhais 


Da varanda da minha casa
Vehibas flores flirescerem
Num espetáculo de cores e aromas.
...
Escrevo versos ardentes 
Para alguém que não me ouve."



Hoje compreendo a grandiosidade e
beleza dos dias de então,
agora que sozinha caminho"...



Saudade 

O chão que suportou os nossos passos
Num trajeto de amarguras e abraços
Que nunca,  em tempo algum, esqueceremos



Casa da Tia 

Tempos que vão
E não mais vêm.



Quimera, minha esperança
Um sonho, minha utopia
De morar entre montanhas
Silenciosas em suas entranhas.




Terei um tempo para meditar,
Ficar em casa, olhar o meu quintal, 
Entre as flores restsr-me a contemplar. 




O encontro com meus amigos
Plantio prá  eternidade
...
Vem de encontro so coração 



Neste cantinho há HARMONIA
natureza zelosa e exuberante,
a cada dia aqui vivo a Poesia.





Uma casinha no campo

Cercada por árvores

 e flores coloridas

Um banquinho 

e um caminho






 Era um palácio, nossa casinha modesta

o Amor reinava no meio da floresta. 





Ah, manhãs frescas dos meus olhos,
tempo começando a acordar
ah, água fresca do regato,
borbulhas brancas,
correndo devagar!






Gratidão,  minha segunda família . 

Vivemos bem unidos nas quatro semanas:





Vocês  foram os protagonistas.
Parabéns!

Abençoado Tempo Pascal.