segunda-feira, 23 de abril de 2018

Reaprender a Sonhar


Meu Deus, como é bonito viver!
Vida linda nos oferta: bem querer.
Deslumbro-me com seus Cuidados,
Louvo, em silêncio, seus Mimos,
Agradeço-Lhe pela sua Bondade,
Imensa, majestosa, com caridade.

No descortinar do horizonte belo,
Contemplo, quieta, céus posso ver,
Envolvo-me com o que mais anelo,
O amor entranhe inteiro todo meu ser.
Só de bênçãos quero toda me encher 
Poder dar-Lhe louvores e não perecer.



A arte de sorrir quando o mundo diz não!

Olho Para o Céu!

(Meaípe- ES)

Meu Bondoso e Justo Deus,
Nesta tarde que só se inicia,
Venho lhe trazer minha alegria;
Junto dela, trago dores também,
Já Lhe dizendo o meu amém!
Do Santuário, volto confiante,
Deixei lá meu coração amante,
Venho para o lar  no abandono
Da que sabe em quem ponho
Tudo que oro e em quem abono.

Ajude-me, Pai, a não esmorecer,
Diante de pessoas duras de coração;
Sentem-se como um Deus em ação.
Medito na Sua Bondade Infinita...
Em como nos quer bem e nos ama,
Todas bênçãos infinitas nos derrama.
Na capelinha do meu eu, Lhe imploro:
Tenha dó dos que afetam o universo,
Com seu modo de ser tão perverso,
Piedade, meu Deus, desse jeito de ser!

Deus Puro Amor, abre a porta da alegria a todos nós!




Comemoro o que há de novo no meu quintal coronário...
Salve o glorioso São Jorge Guerreiro!


Barco Parado Não Desliza




Eis uma partilha dos barcos que visualizei onde morei e aqui onde moro atualmente, nestes três meses de alegrias constantes... muito amor no coração e com  meu baco navegando serenamente pelo mar da vida!

1 Imagem, 140 Caracteres # 239
















"O barco está mais seguro quando está no Porto mas não foi para isto que ele foi construído. "




I

Embarco nesta doce contemplação linda,
Sonho em novos portos; em breve, atracar.
Meu ser anseia por mares mais distantes,
Novas marés vêm a mim com autonomia,
Meu coração, independente, só quer amar,
Meu ser vive à margem, à espera dos longes.


II

Meus barcos estão aportados na berlinda,
Neles, desejo muito poder navegar ainda.
Só me resta curtir, por ora. Muito desejar,
Incluir sonho e realidade no meu visualizar.
No cenário, deslizo eu, meu rosário brilhante,
Neste aguardar, muitas vezes, angustiante.

III

Quando meu barco aportar, estarei feliz
Nos braços do amado, como me condiz
Lanço-me às águas mais profundas já
Não aguardo tempo para frente, vou lá
Levo em meu barco todo meu dócil amor
Não tenho nele tristeza alguma, nem dor
Só coração desejoso de navegar e saciar.



"Trago um jeito bailarino 
Que apesar de tudo baila 
No meu olhar peregrino 
Nos abismos do mar...

No barco da vida perdida e  bem achada...

Aos dezesseis anos, dancei no colégio uma dança típica portuguesa da qual nunca me esqueci, amo dançar algumas e as típicas me alegram muito... Fiz Dança Senior e estou voltando devagarzinho a todas atividades que já fiz aqui e acolá...