domingo, 27 de maio de 2018

Tecer x Orar



Sempre acreditei em belas teias
Hoje, muito mais do que antes.
Teço e desteço dores e alegrias
Estagnação é cruéis desplantes...



Tecer, tecer, voar, voar na imaginação,
Fazer juz à voz criativa do coração...
Reiventar minha vida em construção,
Curtir belos fios e me pôr em oração...




Com suavidade e ternura, lá vou eu!
Saio de mim levemente e do meu eu,
Nada fica igual ao tecer por um rato,
Meu coração serena, acalma e é grato!

Teço,  logo vivo!


Li este pensamento, sem autoria definida, nesta semana e gostei muito:

"O correr da vida embrulha tudo. 
A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. 
O que ela quer da gente é coragem” 



Tecer! Tecer! Tecer!
Orar! Orar! Orar!


Aqui, diariamente, vou recarregar minhas energias pela paz do mundo e pelos que amo, também para a minha...

Usa-me, Senhor! 

Tece 
     em 
             mim 
                 com 
                            novelos 
                                    que 
                                                   desejar...


Que Tu cresças e eu desapareça...
(Jo 3,30)



1 Imagem, 140 Caracteres # 244




Mari, amei a imagem pois o mundo precisa de oração, se todos rezássemos, a vida seria bem outra...

Sou intercessora, 
Minha vida é interceder 
Pela paz do meu semelhante. 
A paz volta para mim...
Mesmo sem valor algum, 
Vivo com coragem...
Ela brota em meu ser 
Nem sei de onde...
Apesar dos desplantes,
 Deus me fortalece!

Por tudo que ocorre no País, rezo agora a oração da serenidade:

Concedei-me, Senhor a serenidade necessária
Para aceitar as coisa que não posso modificar.
Coragem para modificar aquelas que posso e
Sabedoria para conhecer a diferença entre elas.
Vivendo um dia de cada vez
Desfrutando um momento de cada vez
Aceitando que as dificuldades constituem o caminho à paz
Aceitando, como Ele aceitou
Este mundo tal como é, e não como eu queria que fosse
Confiando que Ele Acertará tudo
Contanto que eu me entregue à Sua vontade
Para que eu seja razoavelmente feliz nesta vida
E supremamente Feliz com Ele eternamente na próxima.
Quando teço, fico em oração... um ponto de cada vez... sem pressa para não errar... considero a pressa inimiga da perfeição e, sempre que estou ansiosa ou apressada, procuro respirar e viver mais brandamente um minuto por vez... preciso de paz, meu Deus!
A paz que o mundo não me pode dar...

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Paz


A paz reine nos corações
Dando-nos sadias emoções...
Libertai-nos, Pai, de todo mal
Sem ver, por aí, reação animal...

Deus, combatei a ira, 
Não nos deixeis sem mira
Perpetuai bons momentos,
Livrai-nos de todos tormentos.



quarta-feira, 23 de maio de 2018

Delicadezas!


São pequenos detalhes,
Tornam a vida grande
 Deixam-me ofegante...
Tornam-se gigantes...

Quisera, Senhor, delicadeza
Estar presente com presteza!
Nada de grosseria reinar...
Conjugar só o verbo amar...




terça-feira, 22 de maio de 2018

Minúcias


A vida requer terno cuidado
Olho tudo, percebo ao lado,
Não passo detalhes batido...
Percebo cada detalhe contido.

Muitas vezes, uma minúcia
Enriquece minha astúcia, 
Percebo que a vida requer
Fineza de alma, bem querer!


quinta-feira, 17 de maio de 2018

Mãos à Obra!


Olho, deslumbrada, para o céu,
Lembro-me bem da doce cantiga 
Do meu mundo infantil musical:
Carneirinho, Carneirão...
Olhai para o céu! Olhai para o chão! 

Vejo um carrinho de mão ao léu,
Não há gente a pôr mão na lida,
Abandono ao trabalho ainda...
Fico a meditar: que terá havido
Mal o dia apenas amanhecido ?

Prossigo meu caminhar, alegre,
Vou lá, até o fim bem contente...
Vou lá, em busca do meu tapete...
De conchinhas do mar, diferente.
Que alegria me sentir bem gente!






Novos Brotos/ Sem a Vogal A


Neste outono do meu viver
Busco flores, como romper?
No percurso, vejo o novo...
Contemplo muito o renovo.

Olho em tudo... obserbo...
Miro, reflito o de inédito:
Vejo broto novo em mim?
Sucumbo no corriqueiro?

 Que me desse meu fiel poder
De florescer sem esmorecer
O meu doce e restrito viver!

Sementes vou sempre tecer,
Colher será meu bel desvelo,
Prezo muito um novo zelo.


Com carinho, participando  outra vez da iniciativa da amiga Diná:



sábado, 12 de maio de 2018

Chove Lágrimas de Amor


Acordar!
Estar bem tentar
Ao longo do dia,
Acarinhada na alma,
Com o aconchego da alegria.

Levantar!
Coração amuado,
Como chuva fina desaguar.
Esmagado,
Pelo desejo contido.

Amar!
Desprendidamente, 
Gratuitamente,
Ao sabor do Grande Amor rezar:
Chuva ao coração contrito.



Crer!
Desmedidamente,
Despretensiosanente,
Apenas pelo dom recebido,
Ter fé no concebido
Há dia melhor amanhecido!
Ensolarado...

Não esmorecer!
Ter confiança aquece!
Deus não nos esquece...
O mal não prevalece!
Só nos fortalece...
Dá vida e nos embevece.


Vencer!
Basta seu mal no dia tardio,
Nada de abatimento não sadio,
Alma sedenta, não desespere,
Não caia ao desalento!
Ore, confie. Virá o momento!


A chuva cai, o coração fica fértil...
Minha Oração poeta, me acalma,
Alivia minhas dores da alma,
Ponho-me em atitude sutil:
Causas não me faltam a orar.
Todos merecem meu amar.



Esta música me faz feliz... havendo chuva ou sol...
P.S. Foi uma inspiração que escrevi num dia de chuva e coração amuado com mil coisas a pensar e sentir...
Por aqui, há sol, céu belíssimo outonal lá fora e em meu coração feliz...
Louvado seja Deus!


quinta-feira, 10 de maio de 2018

Pombo-Correio


Escrever carta de amor,
Extravassar o que sente,
Sem parecer um pedinte,
Nem demonstrar só dor.

Dizer apenas a verdade
Longe de toda maldade.
Cartas devem ser leais,
Demonstrar afeto puro.

Não agir como desleais,
Com o coração tão duro.
Dar carinho, intensidade,
Longe de toda falsidade.

Ser tudo o que se escreve
Sem mentiras; não se deve.
Como é lindo bom correio!
Dele, eu não tenho receio...

Espero noticias alegres,
Nada de coisas tristes...
Viva o pombo-correio!
Tanto bem nos apetece...

Falar tudo do que se sente,
O coração serena, adormece,
Disso, nunca ele se esquece,
Amor sempre nos favorece.



Recebi um pombo correio lindo da querida amiga portuguesa, Madalena...


Fiquei mais perfumada e meu rosto agradece...
Bem como eu, pelo seu imenso carinho, amiga querida e terna.
Nossa distância de um lado a outro de um oceano é encurtada sempre pelo fiel pombo correio.


Gentileza gera gentileza...

Tem cheirinho de rosas...
Toda noite agora, durmo perfumada na alma
 com tão doce carinho...
Recebo sempre flores na noite 
e ainda um creme floral 
para cheirar todos "xeros" 
que eu receber e der... 
... na noite...
Fico mais bela nela...
... pra ele...




segunda-feira, 7 de maio de 2018

Entulho no Viver


A sábia natureza sempre expele:
Excrementos,
Aquilo que já não lhe pertence:
Momentos,
Sabe pôr para fora o que lhe fere:
Tormentos,
Pelas ondas, o que não lhe adere:
Sentimentos...


Extrema sabedoria de não armazenar...
O que só serve de entulho a atazanar...
Olho o lixo e rogo a Deus em prece:
Por favor, vem me aliviar,
 me engrandece!



Arco-iris na Alma


Um arco-iris duplo não é casual,
Meus pés se fincam no especial...
Será que estou no mero habitual?

Vislumbrei o tal belo colorido,
Elegante, por sinal, no céu belo,
Sorte, todas bênçãos do Eterno.

Foi sinal que Deus me lançou
Comigo fez aliança, me amou.
À minha janela, me contemplou!

Puro êxtase! De alegria, chorei.
Da emoção, 'refém' me tornei...
No jorrar de imanência, vibrei!

Com uma imensa alegria, mirei,
Oh! Mal pude me conter, gritei! 
As cores me tomaram conta, mirei.

No vislumbre, me deslumbrei,
Não era sonho... não acordei! 
Da doce realidade, me encantei!





Deleite na Imensidão


Contemplo o mais Alto do céu!
Vejo muito além do que um céu:
Árvores gigantescas... ao léu.

Lanço um olhar compassivo,
Não fico apenas no que sinto,
É doçura, um misto de encanto.

Sentido harmonioso, no entanto,
Meus pés saem do chão, flutuo,
Subo como enormes árvores, atuo.

Deixo de lado a todos infelizes,
Agarro-me a Ele como as raízes,
Ao fértil, vou criando asas felizes.

Deleito-me, extasiada, na imensidão,
Eu procuro abrigar-me no coração,
Do Bondoso e terno Deus em ação.