quinta-feira, 30 de maio de 2013

Contemplação Estonteante



Contemplando o verde lindo 

Vou pelos campos afora. 

Rezando, vejo-me, 

Ininterruptamente, 

Quando por lá delicio-me, 

Estonteada, 

Após cansada. 

terça-feira, 28 de maio de 2013

Doce Recanto




Marejada para eu marear... 

Ondas mansas para eu ondular... 

Orvalho caindo para eu serenar... 

Nuvens calmas para eu amansar... 

Doce recanto!

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Sem Noção!



Pedra firme. 

Alicerce fundo.

 Eu estou sem noção. 

Olhar do Alto parece-me solução 

Para males d'alma que não têm conexão. 

Por ora, embutidos.




domingo, 26 de maio de 2013

No Aguardo das Surpresas

                                                                   

Morar... 

Viver... 

Estacionar... 

Arrancar... 

O centro do meu eu 

Estou a trabalhar.

Por ora descansando 

E preparando o que virá. 

Surpresas...

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Meu Pastor



Montanhas, 

Colinas, 

Verdes prados 

E pastoreio em ordem. 

Reina a concórdia 

E inspira a solidão. 

O Senhor é o meu Pastor 

E nada me faltará... 

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Corre-Corre




Vai e vem, estação acima! 

Horários e atrasos... 

Descidas e subidas indecorosas e santas...

Mil projetos e execuções 

Num corre-corre sem fim.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Ai!



Reforma na área externa 

Para melhorar o ânimo 

De quem por lá está a morar. 

Sou testemunha do esforço conjunto 

E da cidadania do habitat. 

Ai!




Culto ao Belo




Patrimônio histórico 

Em evolução numa Cidade 

Que vive de recordação. 

Não faz mal algum, 

Desde que não se ponha 

Em contradição. 

Cultuar o belo!

sábado, 18 de maio de 2013

Aglomeração




Gente vazia? 

Quiçá! 

Aglomerado de desocupados?

Talvez! 

O inusitado é por-se ao sol, 

Saindo do relento interior 

E espreguiçar-se em busca de. 

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Patamar Cotidiano




Sombra vadia, 

Larga a sua perseguição. 

Leva, para longe, 

Quem não tem onde recostar a cabeça! 

Sai do patamar corriqueiro 

E, enfim, salva-os!

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Papel Amigo



Quando vem caindo a noite; 

Vou logo me recolhendo; 

Porém sem deixar de lado o mar

 Que vai enegrecendo. 

Feliz noite ao ter você comigo, 

Amigo. 




terça-feira, 14 de maio de 2013

Céu Anil




Céu de ilusão, vem! 

Desce a mim! 

Enche-me do teu anil,

 Torne-me menos febril 

E sedenta de amor. 

Aconchega-me e enrijece-me, 

Maleavelmente...

domingo, 12 de maio de 2013

Idas e Vindas




Estrada de partidas e chegadas, 

Leve-me a saudade incontida 

De amores incontroláveis 

Que jamais haverei de ultrapassar! 

Entre idas e vindas.

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Doce Mansão




Paredão. 

Noite insone. 

Encurralada ao alvorecer. 

Doce mansão, 

Os habitantes a desmerecem. 

O luxo impera em cada ser. 

Urge apagar o ter. 

Ser!

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Nas Alturas



Árvores frondosas, 

Centenárias que têm para nos contar? 

Sabiamente, 

Está voltada às alturas 

A nos refrescar corpo e alma. 

Gigantesca! 

Uau!

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Fel do Vazio







Antes, generosamente, 

A morada se faz presente. 

Noutro dia, se esvaiu 

Com tanta aspereza 

Como quem arruína a esperança. 

Fica o fel do vazio.




quinta-feira, 2 de maio de 2013

Réu Confesso



Mar afora e sôfrego.

Calado, 

Sussurrante, 

Murmurante, 

Doído. 

Exuberante, entretanto! 

Cálido, muitas vezes. 

Réu, confesso, 

De tantos amantes.